segunda-feira, 2 de julho de 2007

Um delírio

Tudo isso aconteceu há mais ou menos dois mil anos, quando as vacas pulavam de galho em galho nas verdejantes florestas do Oceano Pacífico e os macacos nadavam e saltavam nas profundezas da Floresta Amazônica. Nessa época os leões eram ferozmente caçados pelos veados e as zebras ruminavam a carniça rejeitada.
Vi um sapo virar peixe e um peixe virar um lindo rouxinol.
Vi Nero incendiar Veneza com uma lupa e culpar o Hugo Cháves e sua máfia paraguaia.
Vi Hitler flertar com Chuchill e ser paquerado por Tatcher.
Vi um surdo, falar para um mudo, que um cego lia um livro de páginas vazias que dizia mais ou menos assim:

"O mundo é uma bola quadrada que gira em torno do nada".

Enfim, o que não quero dizer?

Patho perde a asa. Peixe perde a escama.
E o que faço eu aqui? Amando quem não me ama?


__________________________________________________________
*Em homenagem ao Mangá.

3 comentários:

Paulera disse...

de mangá?

Paulera disse...

gostei do novo titulo!

Paskin disse...

A poesia original era de um amigo que eu não vejo há muito tempo e que a gente apelidou de Mangá.