terça-feira, 5 de junho de 2007

Por que eu seria um bom candidato a Anti-Cristo.

Sexo. Se pudesse começaria todos os meus textos com esta palavra e a usaria como ponto final. Imagine: “Letícia foi comprar pão sexo” ou “Minha tia gosta muito sexo”. Bom. Isto de fato não tem nada a ver com o texto.
Agora sim, o texto. Segue aqui a espontaneidade. Quando entrei pro curso de psicologia sabia que iria mudar. Porém não imaginei que seria tanto. Aprendi em pouco tempo de curso que sempre vai ter um problema. Que o problema em si não é o problema ,mas como você lida com ele que é. Resumi o curso em uma frase. Mas percebi que parei de temer a vida. Parei de querer me encaixar em coisas que não me encaixo. Sou um heptogramo querendo ser encaixado em um buraco de triangulo. Amo conversar e conhecer novas visões. Quando converso ou penso levo a máxima da psicologia: Como entendê-lo? Como resolver tal problema?
Aprendi também com o curso a aproveitar um bom vinho, a aproveitar um bom queijo. Fumar um bom charuto acompanhado de um ótimo wisky. Ouvir samba, choro, MPB. Ficar sentado tendo todos estes elementos e curtindo. Amigos. O indispensável são os bons amigos pra compartilhar. Só... nada tem graça. Deixar a fumaça te embriagar, a bebida se espalhar pelo ar, as conversas se tornarem sentimentos... Me sinto um pagão. Nada melhor do que trovar a mulher próxima. A alheia é pecado. Deixar os dedos se tocarem... os pescoços entrelaçarem... quem sabe roubar um beijo... ou até ter um beijo roubado?
Haaaa.... o que quero mais desta vida?
Um bom emprego, minha casa, uma família Doriana e um fígado novo. Quem sabe um cão chamado Totó pra me fazer companhia enquanto leio a Folha no domingo durante a preparação do almoço pela minha mulher??? Não! Quero ir ao leste. Quero fumar narguile no deserto. Quero tomar chá no Taj Mahal. Fazer caretas pra estatua de Mão Tse Tung. Brincar de pique- pega nas colinas de Golã. Tomar raspadinha de groselha na Sibéria. Comer sushi no trem bala de Osaka. E quando tiver cansando. Cansado de não agüentar mais... deito no colo da estatua de Buda e peço pra fazer carinho. Quem sabe depois vou a Meca pedir perdão pelos pecados dos outros. E dos meus? Que outro peça.

Pra acabar: E o anti cristo? Cadê? Só foi pra polemizar... qualquer coisa se candidate ou escreva um texto falando porque você seria o melhor anti-Cristo.

Abraços e até 2º pois estou a 2 semanas sem meus “reforçadores primários”.Mas sempre tem Passargada pra me animar.
T. Moreira

3 comentários:

Paulera disse...

gostei, achei bacana a sua opinião do curso, isso justifica os seus pensamentos dignos de um baseado durante as aulas.

continue assim, firme e forte.

pena que eu perdi esse curso de extnsão que ensinou a apreciar o vinho com queijo e charuto no samba.

abraços

Hammurabi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Hammurabi disse...

A frase que melhor define o curso pra mim é:
"A ignorância é uma benção".

Ou então a sua forma mais poética que eu aprendi com a Paty Maionese:

"A ignorância é a mãe da felicidade".