segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Treinando a Assertividade

“Crie corvos e eles te comerão os olhos”.

Geralmente eu não gosto de falar de temas relacionados à religião aqui no Confraria por alguns motivos. Eu os enumero abaixo:

1- Por uma orientação bíblica. Não se deve misturar o santo com o profano. E, de acordo com Jesus Cristo, não se deve lançar pérolas aos porcos. Não! Para mim, o animal que simboliza os Bravos Confrades é o cachorro, pela relação coincidente com os Pathos (como eu explicitei no post anterior). A metáfora com os porcos tem a ver com o fato de que um tema relacionado à religião pode ser mal compreendido e, por fim, pode se converter em alvo de zombaria.
2- Por acreditar que o Confraria seja um espaço para discussões que não privilegiam a religião. Os temas aqui tratados têm, em geral, dois vértices: diversão e reflexão. Mesmo este último nem sempre tem abertura para debates que envolvam religião.
3- Para evitar proselitismo religioso (nas palavras do Paulinho, abitolação).

Contudo, ultimamente tenho revisto muitos dos meus pontos de vista e percebi que tenho me acovardado perante coisas para as quais antes não hesitaria em defender ou criticar. E isso me tem gerado muita angústia. Em psicologia do desenvolvimento, chamamos isso de Contradição. Uma dessas coisas que tem me trazido angústia pode ser traduzida na percepção de como o preconceito a tudo que se chama valor tem tomado proporções assustadoras. Então, excepcionalmente neste post, vou treinar um comportamento assertivo. Quem não se sentir à vontade com um texto desse teor ou com medo de ouvir um sermão fora da igreja, leia a postagem anterior ou reclame nos comentários.

O estímulo para tanto vem de um ataque à Ministra do Meio Ambiente.

No início deste mês, a Ministra Marina Silva participou do 3º Simpósio sobre Criacionismo e Mídia, realizado pelo UNASP. Na ocasião, a Ministra expressou suas convicções sobre o criacionismo e reinterou que seria interessante se as escolas brasileiras adotassem o ensino de teorias alternativas à evolução assim como passassem a apontar as deficiências da mesma.
Foi o suficiente para que Marina fosse atirada num inferno particular. Quem eram seus demônios? Os "cientistas e jornalistas brasileiros".

Portal UOL - Ciência Hoje

Revista Época

Folha de São Paulo

Resumindo, crucificaram-na pela falha de caráter expressa por ser cristã e pelo atestado de ignorância demonstrado pela aceitação do modelo criacionista e pela rejeição ao darwinismo.
O que não sabem, ou pelo menos ignoram, os “cientistas e jornalistas brasileiros” é que fé de maneira alguma é sinônimo de ignorância e obscurantismo. Grandes cientistas como Newton, Pascal, Einstein, Galileu e Pasteur não eram indiferentes à fé e, pelo contrário, a utilizaram como estímulo para seus empreendimentos.
O que não sabem, ou pelo menos ignoram, os “cientistas e jornalistas brasileiros” é que é graças ao cristianismo que houve a abertura à investigação científica. Outras culturas não estimularam tanto o Zeitgeist que propiciou o desenvolvimento da ciência. Mesmo quando consideramos as culturas hindu e nipônica que guardam semelhanças com o darwinismo no que tange a “evolução da alma”.
O que não sabem, ou pelo menos ignoram, os “cientistas e jornalistas brasileiros” é que Design Inteligente e criacionismo não são a mesma coisa. O Design Inteligente é tão antigo e válido enquanto teoria de explicação das origens quanto é o Materialismo Histórico, do qual proveio a Teoria da Evolução.

A Escola de Atenas
A explicação da tela todo mundo já ouviu. Platão aponta para o Céu, para o metafísico. Numa ordem externa à nossa percepção a priori. É uma das inspirações do DI.
Aristóteles aponta para o chão, para o materialismo. É a base da Teoria da Evolução.

Nenhum criacionista ou adepto do DI sério despreza a importância da Teoria da Evolução. Aspectos como a micro-evolução e a seleção natural, elementos fundamentais da teoria, são indiscutíveis. Indiscutíveis por que são visíveis e podem ser testados na prática. Do jeito que o Skinner gosta.
No entanto, a apropriação irresponsável deste modelo, ou hipótese, foi a causa de algumas das mais horrendas páginas da História humana.
Logo que o darwinismo chegou nos Estados Unidos, os psicólogos de lá o utilizaram para selecionar os mais aptos para as melhores escolas, empregos ou para o exército e estigmatizar os menos aptos. Leia-se menos aptos os negros semi-analfabetos (ou totalmente analfabetos). Ainda hoje a imagem dos negros nos Estados Unidos está relacionada a uma menor capacidade intelectual. A política de destruição das raças inferiores adotada apaixonadamente por Hitler está carregada de amparos evolucionistas.
Agora, os brasileiros também querem dar sua contribuição ao infeliz legado do darwinismo cego. Duas grandes universidades do Rio Grande do Sul, a PUC e a UFRGS, pretendem realizar uma pesquisa com jovens envolvidos em crimes violentos. O objetivo é descobrir por meio de imagens de ressonância magnética se há alguma relação entre modificações no lobo frotal e o comportamento violento. Na teoria, pessoas com o lobo frontal menos desenvolvido ou com algum tipo de atrofia, teriam menos controle sobre seus impulsos (animais) e, portanto, mais tendência à violência. E mais. Exames de sangue também poderiam ser colhidos a fim de verificar se há similaridades entre os DNA's de homicidas.

Interessantíssimo. E capenga.

Sem levar em conta a história de vida dos jovens que cometeram atos criminosos nem o ambiente violento em que estavam inseridos, estes cientistas se valem do mesmo pressuposto que Lombroso usou para classificar delinquentes. Só para lembrar, Hitler utilizou o trabalho de Lombroso para levar para os campos de extermínio aqueles indivíduos (em geral, judeus) cujos crânios enquadravam-se nas definições do cientista como particulares de um marginal.
Trocando em miúdos, se eu ou você não tivermos um lobo frontal igualzinho aos dos pesquisadores da PUC e da UFRGS então nós somos potenciais assassinos. Isso por que em tese nós não evoluímos o suficiente do ancestral comum com nossos parentes chimpanzés, que costumam ser mais nervosinhos.
Engraçado que, numa pesquisa instantânea realizada pelo Fantástico, 90% das pessoas responderam afirmativamente à enquete que perguntava se elas concordavam com a pesquisa. E mais engraçado ainda é que o que vai dar de preto e pobre com o lobo frontal atrofiado não é brincadeira. Ou vocês acham que eles vão examinar o cérebro do promotor que assassinou o moto-boy no sinal?
Por fim, correndo o risco de ser taxado de proselitista (ou bitolado) eu coloco um trecho bíblico aqui. Acho que ele expressa muito do que eu quis dizer. São palavras do próprio Cristo.

"Então eles os entregarão para serem perseguidos e condenados à morte, e vocês serão odiados por todas as nações por minha causa. (...) Devido ao aumento da maldade, o amor de muitos esfriará".
S. Mateus 24 versos 9 e 12. A Bíblia na Linguagem de Hoje.

2 comentários:

Paulera disse...

nice pal.

Anônimo disse...

http://achatcialisgenerique.lo.gs/ cialis sans ordonnance
http://commandercialisfer.lo.gs/ acheter cialis generique
http://prezzocialisgenericoit.net/ cialis
http://preciocialisgenericoespana.net/ precio cialis