sábado, 9 de fevereiro de 2008

Lavagem Cerebral nos EUA

[esse texto, escrito por mim, PAULO, não tem a finalidade de virar uma corrente, é para nós estudantes de psicologia refletirmos a respeito de certos eventos que ocorrem em nosso mundo]


O que eu acabo de presenciar é outro Jonestown. Eu não sei por onde começar. Esse texto é sobre religião, mas ninguém precisa se mexer na cadeira, porque é sobre um pequeno grupo de 70 pessoas nos EUA. E nenhum de nós se parece com eles.

Do início.

Um homem, chamado Fred Phelps, resolveu fundar um "culto". Assim nasceu a Igreja Batista de Westboro. Tendo Fred como pastor, esse culto teve apenas sua esposa e filhos como freqüentadores. Por não terem nascido dentro dessa ideologia, 4 dos 12 filhos de Fred se excluíram da família. Então vieram seus netos, estes já nasceram nessa ideologia, sem poder optar por outra. A ideologia deles é muito fechada. Mas existem algumas particularidades sobre esse grupo que eu gostaria de explicar.

Como base de tudo, eles não aceitam a união entre pessoas do mesmo sexo. E o fato disso ser aceito nos EUA, faz com que todas as pessoas que permitam isso, ou que fazem parte desses grupos também sejam consideradas por eles como homossexuais e pecadores. Segundo eles, Deus condena o "estilo" de vida da nossa sociedade atual, logo, todas as pessoas que não participarem dessa seita, irão para o inferno porque são pessoas que estão de acordo com essa vida tentadora.

Então, para combater isso, Deus cria modos de se vingar de todos nós. Eles acreditam que todas as tragédias que acontecem são causados pela raiva de Deus. Durante o documentário fica claro que, para eles, a guerra do Iraque foi algo planejado por Deus, as 33 pessoas assassinadas na Virgínia Tech University dos Estados Unidos por aquele aluno também são obra de Deus. O mais interessante, e assustador, é ver os videos que Fred Phelps publica na internet com suas declarações.
A respeito dessa universidade, ele diz que deveriam ter sido 33 mil mortos, mas 33 mortes já é bom o bastante. E durante o documentário, o repórter pergunta se ele irá para o inferno, e uma das adolescentes sorri e diz que sim. Ele pergunta porque ela sorri e ela diz que gosta de ver a ação de Deus, então, quando uma pessoa morre, isso representa uma alegria pra ela.

Sobre a guerra do iraque, eles vão para funerais de soldados de guerra com suas faixas de "Deus odeia bichas" entre outras, e pregam a fé deles.

É assutador ver que os filhos dessa família são criados com essa ideologia, usando roupas com as frases de impacto, e sempre com placas nas ruas. Essa família sempre é alvo de revolta das pessoas que passam por eles nas ruas, que lêem o que eles pregam. Em um momento, uma das crianças, que tem 7 anos, é acertada por um copo de "refrigerante" que é atirado de um carro que passa por eles.

Eu não sei explicar, é muito excêntrico e perturbador ver tudo que eles fazem, até por isso que eu estou aqui, querendo divulgar isso, e só dormirei depois de transmitir-lhes esse texto.
Um dos membros é justamente um ex-repórter que foi fazer um documentário a respeito da família e se converteu. Esse repórter diz claramente que antes acreditava no livre-arbítrio mas que abandonou tudo para seguir essa seita.

Em um programa de auditório, no melhor estilo barraco e oba-oba, a família é convidada para mostrar um pouco do que acreditam. Eles passam um video da família cantando uma adaptação da música "We are the world" [tradução: Nós somos o mundo], só que na versão deles, chama-se "God hates the World" (Deus odeia o mundo). E alguns trechos da música dizem o seguinte:

"Você passou do limite
Você não ouviu o último chamado
Você é mais um nesse mundo ruim
Ver seus soldados morrerem
E seu pedido para que Deus lhe abençoe
Essa mentira é a maior mentira de todas.
Você não pode seguir, fingindo a cada dia
que Deus, esse que julga, está morto
Vocês são todos parte da família do Demônio
e a verdade é que irão direto pro inferno

Refrão:
Deus odeia o mundo
e todas as pessoas que habitam a terra.
vocês lidarão um dia com o inferno
por culpa dos seus pecados."


O que deixa as pessoas indignadas nesse video é o fato de uma criança de 5 anos estar cantando.
Infelizmente, não existe material em português para ser acessado na internet.
Essa família é conhecida como "A família mais odiada da America" [The most hated family in America]

CONCLUSÃO:
Cada dia me pergunto quem sou eu para julgar outras pessoas. Mas nessa situação eu vejo que não faz bem para essas pessoas. Hoje mesmo (ontem) eu estava discutindo com o Thiago Mohammed e o Thiago Cardoso sobre religião e o chato é como as pessoas querem convencer uns aos outros sobre suas crenças, impor suas crenças sobre os outros. Assim como recém-convertidos, isso é muito chato. Mas nessa família, parece ser algo mais assustador. MEDO.

(eu tinha que escrever esse texto, eu não conseguiria dormir antes disso... apesar de não saber se vou conseguir dormir agora também, tem uma hora que escrevo esse texto, na verdade um pouco mais.
__________________________________________________________

LINKS

wikipedia (ingles): http://en.wikipedia.org/wiki/The_Most_Hated_Family_in_America
link deles num programa estilo "Casos de Familia" na Inglaterra, os outros convidados são: um representante da fundação GLS; um representante da igreja católica; e a mãe de um soldado morto na guerra do Iraque.
parte 1 http://www.youtube.com/watch?v=l9Mta3zdavM
parte 2 http://www.youtube.com/watch?v=FPB1q77Has4
parte 3 http://www.youtube.com/watch?v=9k2vlELfmnc
(em inglês, sem legenda)

3 comentários:

Hammurabi disse...

Meu garoto, eu fiz a revisão do texto. Cê deve ter notado.
Quanto à minha opnião, bem, é necessário admitir que essas seitas se desenvolvem de maneira muito fácil no meio Protestante. Sendo eu um protestante, acho que não tem nenhum problema falar assim. Mas uma coisa é certa. O que essa família chama de igreja está muito longe do que configura-se uma verdadeira religião.

Cleuza Martini disse...

Concordo com Hammurabi, esta é uma amostra de pessoas perturbadas, não acredito que vá muito longe esta loucura, mas de qualquer forma vale uma reflexão.

Anônimo disse...

Assisti à esse documentário,mas não me revoltei...não pelo fato de concordar com algo que disseram,mas porque me compadeci deles.Jesus Cristo deixou muito claro à que veio,para implantar o amor acima de tudo,pq quando ele morreu naquela cruz,em um ato de amor levou todos nossos pecados,isso por pura misericórdia de nós.Os Phelps,infelizmente como milhares de protestantes,católicos,espíritas e etc. na mesma situação,se deixaram cegar por profundos enganos e se esqueceram de um dos princípios fundamentais de Cristo,que é amar o próximo como a nós mesmos...me parece que xingar e ofender qualquer ser humano não é uma amostra presente desse amor ao contrário,passa longe disso e ´provoca muita revolta o que afasta ainda mais as pessoas de Deus e obstrui qualquer estratégia de evangelização