terça-feira, 30 de setembro de 2008

Girls of Spring

Um Cachorro Bravo escreve:

Todo mundo tem aquela bandinha brega que um dia chegou a ser a banda preferida melhor do mundo mas hoje, acabou ficando só na trilha sonora de algumas boas lembranças do passado. Eu tenho amigos que dizem que gostam do NxZero, mas só de uma musiquinha. Sem preconceitos. Como diz a Valeska, o importante é não desqualificar o pathos do sujeito.
Minha banda preferida melhor do mundo do passado é o Aerosmith. Eu não deixei de gostar da banda, tanto é que eu ainda tenho um pôster deles pregado no meu quarto e, nos meus sonhos, eu me torno genro do Steven Tyler com ele cantando Fly Away From Here na valsa de casamento enquanto eu danço com a Liv. Ah meu Deus, a Liv...
Pois é. Hoje em dia, se me perguntam qual é a minha banda preferida, eu respondo sem titubear que é o Pearl Jam. E caso eu não consiga casar com a Liv Tyler (:D), a música que vai tocar no meu casório vai ser Black. Mas eu ainda escuto o Aerosmith e foi justamente ouvindo Girls of Summer que ontem eu tive uma das visões mais espetaculares da semana.
O cenário é jocoso. Parece história do Peperônio. Mas não importa. Vamos ao relato.
Eu sentei num dos primeiros bancos e, uma parada depois ela entrou com uma amiga a tira colo. A amiga sentou-se no banco que ficava a minha frente e ela ficou de frente pra amiga, e conseqüentemente de frente pra mim.

"When all you think of all day long
Is a pretty face inside a song".

Era o rosto mais bonito que eu já tinha visto na vida. O rosto perfeito emoldurado por umas faces róseas. Uma boca pequena com dentes brancos e um sorriso que tirava o fôlego. Cabelos cacheados e escuros mas com mechas em tons levemente claros, quase loiros. Mas o que intrigava mesmo eram os olhos. Verdes. Vivos. Questionadores.

"Some girls are all about it
Some girls they love to let it fly
Some girls can't live without it
Some girls are born to make you cry".

Parecia que tudo nela emanava um charme sedutor. As expressões faciais que lembravam algo infantil, o pôr o cabelo atrás da orelha antes de iniciar outro trecho de discurso. Eu estava hipnotizado. A música era a trilha sonora da visão que eu tinha. Eu não conseguia parar de olhar. Só que não conseguia manter o contato visual quando ela me encarava. Eu esquivava o olhar para então retornar quando aqueles olhos não estavam fixos em mim. Por quinze ou vinte minutos me tornei um autista. Preso no mundo da minha visão e sem coragem de encarar aquele anjo.

"The best things about life are free
The pussywillow up your tree
To the one who climbs
They'll always be the girl"...

Tanto a visão quanto a música infelizmente chegaram ao fim. Ela saltou do ônibus antes de mim mas sem antes deixar de me dar outra encarada que me fez gelar a espinha. Talvez ela tenha se constrangido com os constantes olhares. Ou talvez tenha tentado me ver melhor, como uma espécie de recompensa por minha fixação. Enfim, antes que acabassem meus devaneios, saltei do ônibus.

2 comentários:

Paulera disse...

alguém aqui tá apaixonado.
alguém aqui peidou.

"one night lover"... é rapaz... contece...

já se fosse um hit de música brega seria algo do tipo "a mina da minha condução"

gostei do texto...

abs

Brain disse...

Hehehehe. Que nem o Seu Jorge "Mina do Condomínio. Mas Seu Jorge é mara!