sexta-feira, 7 de março de 2008

Histórias diversas do PePe parte I.

Finalmente a premier com o Michê mais famoso de Rio Verde-GO!


Este homem é um fenômeno no IESB. As mocinhas querem agarrá-lo, os gays querem possuí-lo (!), os homens querem ser como ele, as velhas querem que ele se case com suas filhas (e também querem agarrá-lo) e as professoras querem aprender algumas lições com ele!
Ele não é só o capiau mais tesudo daquele curso de psicologia. Ele é uma espécie de Chuck Norris que foi criado comendo pequi. Um exemplo da sapiência desta grande figura goiana está neste fato que aconteceu há dois dias e que agora passo a narrar para vocês:

Estou fazendo um tratamento para engordar. O nutrólogo que consultei me disse que o motivo para a demora que venho apresentando para ganhar peso pode ser stress. Ao relatar meu caso ao grande mestre Pepe, este me surpreende mais uma vez com seus profundos conhecimentos de lógica e das carências humanas:

-Thiagão, o médico falou que você precisa comer pra engordar não foi?
-Aham.
-E você não engorda por que tá stressado não é?
-Aham.

-E ele te sugeriu uma terapia pra desestressar né?
-Aham.

-Thiagão, eu tenho a solução pra você! Se você precisa comer pra engordar, e não consegue comer por que tá stressado, essa terapeuta é o que você precisa!


Ele então sacou da carteira um cartão. Nele tinha uma bela moça sorrindo (mas não com o rosto) e no verso, as seguintes informações:

www.sheilalopes.com
.Atendimento Hotel, Motel, Ambiente
.Ligar com Antecedência
.Ele, Ela, Casal
.Horário de atendimento das 9h às 23h


************************************
Bom, confiram vocês mesmos esse exemplar de magnânimidade.
Com vocês, Pepe!

Hammurabi.
************************************


Salve, salve galera!

É com ... hamm.. imenso prazer que posto aqui pela primeira vez. Então sem mais lero-lero vamos começar:

"A enfermeira"

Aconteceu há alguns anos no município de Rio Verde-GO.
Estava eu sendo encaminhado para a sala de cirurgias do Hospital Regional de Rio Verde. O procedimento parecia simples. Alguns cortes aqui, raspagens ali e uma cauterização. Tudo isso na garganta. Após a cirurgia, que demorou cerca de duas horas, fui encaminhado de volta para o quarto.
Acordando da anestesia, eu olhava para um lado e para o outro e por enquanto apenas minha mãe e minha avó paterna estavam no quarto. Elas me olhavam e perguntavam se estava tudo bem. Respondi o que pude no meio a cuspes de sangue pois não aguentava a dor e o incômodo na garganta. Após alguns minutos de gemidos de dor, entra o Dr Rafael no quarto.
Chamado por minha mãe para precaver qualquer coisa ele entra, calmo, e me passa as seguintes informações:

-Bom Petrônio, a cirurgia foi um sucesso! Você vai poder sair logo logo. Evite comer coisas quentes, beber muita água e, PRINCIPALMENTE, evite pensar em cenas que lhe sejam excitantes, pois isso irá eliciar a circulação rápida do sangue que estará quente e, ao passar pela sua garganta, você irá ter uma ânsia de vômito seguida da excreção de um coágulo de sangue que será expelido, pois você irá vomitar na hora.

Eu respondi um tanto surpreso:

-Tudo bem Doutor. Pode deixar comigo. Nada de pensamentos sacanas.

Estava tudo correndo bem quando ouço o barulho da porta se abrindo. Será minha mãe? Meu pai? Alguma visita inesperada? Não! Nenhuma dessas pessoas! Era simplismente A ENFERMEIRA.

Sim meus amigos! Uma puta (com perdão da expressão) enfermeira peituda, bunduda, loiraça, cheia de charme e um decote imenso com saia rodada branca que adentrou-se no quarto rebolando e falando comigo:

-Oi meu bem, vamos trocar o soro?

Foi o bastante. Nem precisou de ela chegar mais próximo ao meu rosto com aqueles peitos enormes eu já havia expelido três coagulos de sangue seguidos! No meio de tanto vômito e náuseas ela dá uma risadinha e sai rebolando e dizendo:

-Calma bebê. Isso é natural.

E ela ainda sabia que era uma enfermeira muito da boa.
Sai com três horas de atraso por conta do incidente e pensando comigo mesmo, "Ê, ainda pego essa enfermeira", voltando pra casa e terminando meu dia assim.
Aprendi uma coisa muito bacana nesse dia pelo qual tento utilizar ainda hoje quando ando pelos corredores do IESB:

-Controle seus respondentes! Controle seus respondentes!

Maldita cirurgia de garganta!

2 comentários:

Paulera disse...

boa..... pepe, bem vindo.

Hammurabi disse...

Esse é o segundo post escrito à quatro mãos. No primeiro eu quase apanhei do Don Fidel.
Eu ri muito enquanto escrevia esse post com o Pepe. Foi quase um orgasmo quando eu li "Nem precisou de ela chegar mais próximo ao meu rosto com aqueles peitos enormes eu já havia expelido três coagulos de sangue seguidos"!. Sei...Pelo tom do texto, eu tenho certeza que foram três coágulos de sangue que ele expeliu...

hehehehe!!!

Tô esperando a próxima Pepe!